JOALHERIA

Tiffany&Co. anuncia o Diamond Provenance

Tradicional joalheria americana traz uma nova era de transparência sobre a proveniência de seus diamantes como parte da sua conduta transparência em relação à sustentabilidade

De onde vem os lindos e icônicos diamantes da Tiffany&Co? A partir de hoje, a tradicional joalheria americana anuncia que começará a compartilhar com seus clientes a proveniência (região ou países de origem) de seus diamantes comprados recentemente e registrados individualmente – um passo significativo para a transparência do diamante – e, até 2020, compartilhará sua jornada artesanal – uma novidade no setor. A iniciativa de registro da proveniência de diamantes da Tiffany é possível graças a 20 anos de investimento em compras responsáveis e habilidade artesanal de diamantes.

 Ao rastrear cada um de seus diamantes registrados individualmente (a partir de 0,18 quilate) com um número de série “T&Co” exclusivo, gravado a laser e invisível a olho nu, a grife fornecerá aos clientes informações geográficas de compra específicas de cada diamante. Além de ter a certeza de que os diamantes são livres de conflitos. A Tiffany&Co. acredita que conhecer a proveniência é essencial para garantir que seus diamantes estejam entre as pedras com compras mais responsáveis do mundo.

“Os diamantes, formados há três bilhões de anos e trazidos à superfície da Terra por um milagre da natureza, são símbolos dos momentos mais importantes em nossas vidas. Diamantes Tiffany devem ser transparentes”, disse Alessandro Bogliolo, diretor executivo da Tiffany&Co. “Nossos clientes querem e merecem saber de onde vem sua joia com diamante mais valioso e apreciado, e o processo pelo qual ela passou.”

Informações de proveniência serão divulgadas nas vitrines de Love&Engagement nas lojas de todo o mundo, junto com uma seleção de anéis de diamante com suas proveniências individuais exibidas claramente. Além disso, os profissionais de venda e o Atendimento ao Cliente da Tiffany&Co. disponibilizarão aos clientes informações geográficas de compra de todos os diamantes registrados individualmente.

A tradicional joalheria americana comprometeu-se com a transparência completa de informações geográficas de todos os diamantes comprados recentemente e registrados individualmente e não comprará diamantes com proveniência desconhecida (mesmo com a garantia de compras responsáveis) a partir de agora.

Neste primeiro trimestre, a Tiffany incluirá a proveniência no certificado de diamante para diamantes registrados individualmente, junto com outras especificações da pedra – informações não disponibilizadas em outros relatórios de laboratórios do setor ou por outras joalherias de luxo globais.

Para o próximo ano, em 2020, a grife compartilhará a jornada artesanal (como a localização das oficinas de lapidação e polimento) além da proveniência. 

Embora as práticas atuais do setor de diamantes impossibilitem a identificação de proveniência de vários dos diamantes do mundo, a Tiffany continua liderando o setor ao aumentar a transparência de sua cadeia de suprimentos de diamantes. Quando a proveniência for desconhecida – como no caso de pedras de herança Tiffany anteriores a essa política – a Tiffany confirmará que o diamante foi comprado em conformidade com as práticas líderes do setor. Os rigorosos padrões superam os requisitos do Sistema de Certificação do Processo de Kimberley para diamantes brutos e, para pedras polidas, garantem a conformidade com o Protocolo de Garantia de Registro de Proveniência de Diamante. Caso algum dos fornecedores tenham várias operações gerenciadas de forma responsável, os diamantes poderão ser chamados de “seleção de Botsuana”.

A maioria desses diamantes é extraída de Botsuana, além de minas selecionadas na Namíbia, África do Sul e Canadá. Para pedras da “seleção de Botsuana”, a proveniência inclui os países acima, compradas de um lote de diamantes brutos agregados de um grupo de minas específico e limitado do sul da África e do Canadá.

“A Tiffany&Co. há muito está comprometida com a rastreabilidade de diamantes e com exceder os padrões do setor para promover a proteção do meio ambiente e dos direitos humanos”, afirma Anisa Kamadoli Costa, diretora de sustentabilidade da grife americana. “Uma jornada transparente de compras responsáveis reflete os diversos e amplos benefícios em todas as etapas da cadeia de suprimentos de diamantes.”

A Tiffany&Co. é a única joalheria de luxo global a possuir e operar suas próprias oficinas de polimento de diamantes em todo o mundo, onde mais de 1.500 artesãos garantem a qualidade extrema dos diamantes e dominam a habilidade artesanal. Para aumentar essa diferença competitiva, até 2020, a Tiffany também compartilhará a jornada artesanal de seus diamantes, além de suas proveniências.

 Desde 1999, a grife investe na integração vertical e prioriza a transparência de sua cadeia de suprimentos. Cerca de 80 a 90% dos diamantes registrados individualmente da Tiffany (por volume) foram fornecidos por operações Tiffany na Bélgica, Botsuana, Ilhas Maurício, Vietnã e Camboja, onde artesãos planejam, cortam e/ou lapidam e pulem diamantes brutos de minas gerenciadas de forma responsável, em sua maioria, de Botsuana, Canadá, Namíbia, Rússia e África do Sul. Para os 10 a 20% restantes, os fornecedores confiáveis de diamantes polidos da Tiffany cumprem com o Protocolo de Garantia de Registro de Proveniência de Diamante da Tiffany, que garante que os diamantes não são originários de países com queixas sobre direitos humanos com relação a diamantes, como Zimbabwe e Angola (embora eles sejam aceitos sob o Processo de Kimberley).

A partir de hoje, esses fornecedores precisarão ir além da garantia de diamantes livres de conflitos e deverão declarar a origem geográfica dos diamantes polidos vendidos à Tiffany, incluindo região ou países de origem.

A Tiffany&Co. oferece transparência com relação a seus compromissos com o meio ambiente e responsabilidade social por meio de seus relatórios de sustentabilidade (www.tiffany.com/sustainability), e agora oferece essa iniciativa a seus clientes na tentativa de iniciar uma nova era de transparência sobre a proveniência de diamantes (www.tiffany.com/engagement/diamond-provenance).

A loja da tradicional joalheria americana, no Sul, está localizada em Curitiba, no primeiro piso do Pátio Batel.

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply